segunda-feira, 13 de abril de 2009

Advogados não se entendem e juiz disciplina a conversa com presos

O juiz da 3ª Vara Criminal de Cáceres, Alex Nunes de Figueiredo, limitou por portaria o tempo de visita dos advogados na Cadeia Pública do município.

Pela medida, cada advogado pode conversar 40 minutos com o cliente. Caso não haja nenhum outro defensor na fila para entrevista com presos, a conversa pode ser mais longa. Como a medida não estava sendo cumprida, o juiz determinou que quem desrespeitasse a portaria seria autuado em flagrante por crime de desobediência e liberado em seguida.

O magistrado afirmou que "a decisão é para proteger os advogados deles mesmos, que não se respeitam”. Ele conta que já teve casos de advogados brigarem porque um queria furar a fila e o outro reclamou. “Ao invés da OAB contestar a portaria, deveria se movimentar junto ao governo para construir um parlatório na cidade, com 3, 4 salas. Isso sim resolveria o problema" – disse o juiz, em entrevista a um jornal de Cuiabá.

A OAB pretende discutir a portaria no CNJ.


Nenhum comentário: