sexta-feira, 2 de abril de 2010

Estética e Crime

Estética e Crime? Já pensaram numa besteira dessas antes? Eu pensei, digo, estou pensando... Vou escrever algo e vê no que vai dar .... Agradeço a uma ligação do aluno Tiago! 
Estou em busca de textos e mais textos que tenham relação com a ideia... Quem os tiver, mande-me pelo e-mail fabiusataide@hotmail.com.br! Agradeço desde já.

2 comentários:

Rosivaldo disse...

Amigo, você deve conhecer o afamado artigo do seu conterâneo Mário Moacyr Porto, "Estética do Direito". Achei-o aqui (http://www.leidsonfarias.adv.br/estetica.html). Mas "estética do crime" eu nunca ouvi falar.
Olha, acho que o crime é antiestético por natureza. O crime é algo "feio", o ato de praticar um crime não é boa coisa de se ver. Os resultados em crimes violentos? Nem se fala.
O público-alvo da práxis penal, pela sua seletividade, geralmente é de pessoas pobres, sofridas, cuja aparência longe está de ser uma de suas necessidades imediatas.
Quero ver o resultado!

Abração.

Fábio Ataíde disse...

Rosivaldo, o incrível é que o crime pode ser estético! A trajédia grega, o serial killer, o mass muder, o desvario da mídia para com certos crimes me leva a pensar assim. O homem bomba busca uma estética em seu crime. Bin Landem conseguiu uma plasticidade estética em seus atentados. O crime imita a arte...