sábado, 14 de fevereiro de 2009

Reinaldo Azevedo está certo sobre a criminalidade e as classes

QUANDO A CLASSE SOCIAL DO CRIMINOSO É IMPORTANTE


Reinaldo Azevedo escreveu o seguinte:


Alguns leitores me indagaram ontem por que destacar que as duas gangues de traficantes desbaratadas pela Polícia Federal eram lideradas e compostas por pessoas de classe média alta. Um deles: “Você também vai aderir a essa história de ficar dando a classe social dos criminosos?” Nesse caso, é relevante, sim. Aliás, relevantíssimo. E por várias razões:
1 - evidencia-se a tolice de ligar pobreza a crime, um preconceito de duas faces:
a – a face reacionária com sotaque reacionário – pobre tem natural tendência à criminalidade;
b – a face reacionária com sotaque esquerdista – o crime nasce da carência;

2 – o crime é uma escolha; quaisquer medidas que não levem esse dado em consideração serão inúteis, quando não forem contraproducentes;

3 – os presos vendiam drogas sintéticas, cada vez mais freqüentes nas balada e raves. E também cada vez mais toleradas. Não há excesso de repressão nesse caso, mas falta dela;

4 – criminosos, então, porque querem, sem qualquer desculpa sociológica para lhes limpar a barra moral, esses caras decidiram ganhar muito dinheiro sem trabalhar. Só mesmo na ilegalidade — e, em alguns casos, na política... Se as drogas fossem legais no país, tentariam alguma outra modalidade de crime.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá.

Acabei de inserir o seu link no meu blog e vi que já conhecia o meu. Obrigado por mencioná-lo aqui.

Fiz uma pequena alteracao no endereço. Mudei de "rotina" para "diário".

Um grande abraço.

http://diariodeumadvogadocriminalista.wordpress.com/

Christhian Naranjo

Fábio Ataíde disse...

Já atualizei o link. Abraços