domingo, 1 de março de 2009

Texto-base da Campanha da Fraternidade 2009 adota princípios sociológicos de explicação do desvio.


Texto-base da Campanha da Fraternidade 2009 adota princípios sociológicos de explicação do desvio.

 

A Campanha da Fraternidade de 2009 vem com o tema “Fraternidade e Segurança Pública”. O lema da Campanha é “A paz é fruto da justiça (Is 32, 17)”.

O que mais me impressionou é que o texto-base explicativo da campanha adota uma sequência de capítulos de acordo com os princípios das modernas teorias sociológicas de explicação do desvio.

Na primeira parte do texto-base explicativo, aborda-se o  VER, com destaque para as relações humanas e sociais. Ver é reconhecer o desvio.  

A segunda parte do texto traz os aspectos do  JULGAR, ou seja, do não tolerar o desvio, afastando-o como modelo de convivência entre as pessoas.

O terceiro e penúltimo capítulo vem com os aspectos do  AGIR, destacando finalmente a necessidade de uma reação contra aquele que vemos e julgamos contra os nossos princípios de vida em sociedade.

Incrível a exposição didática da Campanha.

 

Destaco aquis as obras bibliográficas não-religiosas que deram base à elaboração do texto-base:

 

·         AGOSTINI, N. Ética Cristã e desa_ios atuais.

·         ALTHUSSER, L. Aparelhos Ideológicos do Estado. Rio de Janeiro, Difel, 1988, 2ª ed. 133

·         ALVES, R. B. Criminologia. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

·         BOBBIO, N. A Teoria das Formas de Governo. Brasília, DF: Editora UnB, 2000.

·         BURNS, E. M. História da civilização ocidental. O drama da raça humana. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1968, vol 1, 2ª Ed.

·         CASTEL, R. A insegurança social:o que é ser protegido? Petrópolis: Vozes, 2005.

·         COMBLIN, J. “Viver na cidade”. São Paulo: Paulus, 1996.

·         DA SILVA, J. Criminologia crítica – Segurança e Polícia. Rio de Janeiro: Forense, 2008. 2ª ed.

·         _____ . Violência e racismo no Rio de Janeiro. Niterói: UFF / Eduff , 1998.

·         FALEIROS, V. P. Violência contra a pessoa idosa. Brasília: Universa, 2007.

·         FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário Aurélio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.  2ª ed.

·         FIGUEIRA, R.R. ‘Por que o trabalho escravo?’ Estudos Avançados, São Paulo, vol. 14, n. 38, jan-abr 2000.

·         LOPEZ-REY, M. A. Criminologia. Madri: Aguillar, 1978. Vol. II.

·         MARCUSE, H. Eros e civilização. Rio de Janeiro: Zahar, 1955.

·         MIRANDA, A.P. M.; NASCIMENTO, N. & MELLO, K.S.S. Segurança Pública, Segurança Social e Segurança Humana. Rio de Janeiro: Instituto de Segurança Pública, 2006.

·         MIRANDA, A.P. ‘Considerações acerca da criminalização da sonegação _fiscal e das fraudes no Brasil’. Revista Ultima Ratio, Rio de Janeiro, 2007, p.331-359.

·         PESSINI, L. e BERTACHINI, L. (orgs) Humanização e cuidados paliativos. São Paulo: EUNISC – Loyola, 2004.

·         ORWELL, George. “A revolução dos bichos”. www.comunismo.com. br/georgeorwell-revolucao.pdf.

·         REALE, G e ANTISERI, D. História da Filoso_ia. São Paulo: Paulinas, 1991, vol. III. 134

·         RÚBIO, A. G. Encontro com o Cristo Vivo. São Paulo: Paulinas, 2008. 18ª ed.

·         SIMMEL, G. ‘A natureza sociológica do con_lito’. MORAES FILHO, E. (org.). Georg Simmel: sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

·         ZANETIC, A. A questão da segurança privada: estudo do marco regulatório dos serviços particulares de segurança.São Paulo, Dissertação de Mestrado em Ciência Política, 2005.

 

***

 

Vale a pena ler o texto-Base sobre a Campanha. 

4 comentários:

Vexata Quaestio disse...

Obrigado pela sua visita e comentário.

Abraços desde Lisboa,

VEXATA QUAESTIO

Vexata Quaestio disse...

Tá adicionado nos nossos links

geovana disse...

MINHA FILHA PRECISAVA FAZER UM TRABALHO PRA CATEQUESE, E AKI ACHEI TUDO QUE PRECISAVAMOS, UM FORTE ABRAÇO E FIQUE COM DEUS

Anônimo disse...

OI EU SOU SARAH EU AMO LIVRO